Mesa 2: Direito à comunicação, empoderamento e protagonismo juvenil

O direito à comunicação é um Direito Humano e, portanto, todos os cidadãos precisam ter assegurado o direito à expressão e a ser também um produtor de cultura. É justamente isso que essa mesa pretende discutir, trazendo experiências na área em torno da produção de duas revistas educomunicativas – Revista Viração e Revistapontocom – além de apresentar as manifestações de crianças das redes públicas de São Paulo e de Porto Alegre em coberturas educomunicativas. Dentro dessa perspectiva, duas jornalistas com experiência internacional em direito à comunicação, expressão juvenil e empoderamento enriquecem a discussão.

style1_mesa2


 

brunoEducomunicadores na Revista Viração – Bruno Ferreira
Jornalista editor da Revista Viração

O webconferencista discute sobre a produção de mídia por adolescentes e jovens em coberturas educomunicativas como forma de exercer o direito à comunicação e a participação política.

Bruno Ferreira é jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo, especialista em Educomunicação: Comunicação, mídias e educação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP) e membro da Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais de Educomunicação (ABPEducom). É professor de Comunicação Social no Senac São Paulo, integrante da Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicadoras e Comunicadores e educomunicador da ONG Viração Educomunicação há cinco anos, onde é responsável pela gestão da comunicação dos veículos institucionais e por seus produtos midiáticos.

 


Marcus-homeMídia-Educação na Revistapontocom – Marcus Tavares
Jornalista editor da Revistapontocom

O webconferencista irá discutir sobre a mídiaeducação, ou seja, a relação dos jovens e adolescentes com a mídia.

Marcuso Tavares é editor da revistapontocom. É também pesquisador do Grupo de Pesquisa Educação e Mídia (Grupem), É mestre em Educação pela UniRio. Doutor em Educação pela PUC-Rio. Integra a Rede de Trabalho do Instituto Alana. Atua como professor na educação básica e superior, além de ser colunista do Jornal O DIA, desde 2005.

 

 

 


mariaCeliaRehderDireito à educação como estratégica educomunicativa – Maria Célia Rehder
Jornalista assessora dos projetos da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Conselheira no Conselho Científico Deliberativo (CCD) da Abpeducom, membro do NCE-USP.

A webconferencista irá discorrer sobre o direito à comunicação como um direito humano capaz de dar vez e voz às pessoas de um determinado espaço social, cultural e geográfico, não apenas no sentido de ter espaço. Mas também no sentido de ter acesso aos meios para produzir materiais comunicativos e difundi-los. A partir dessa questão, pontua seu trabalho na Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

A jornalista Maria Célia Giudicissi Rehder é especialista em Educomunicação (ECA-USP), Mestre em Direitos Humanos e Democratização (European Inter-University Center for Human Rights and Democratisation). Morou por 18 meses na Guiné-Bissau onde ocupou o cargo de oficial de comunicação das Nações Unidas naquele país, desenvolvendo ações diretas de educomunicação com a Rede de Crianças e Jovens Jornalistas da Guiné-Bissau. Neste período também concebeu, conjuntamente e com a supervisão do professor Ismar de Oliveira Soares e da professora Patrícia Horta, um curso piloto – versão adaptada do Mídias na Educação – de formação para professores guineenses, com o apoio da Embaixada do Brasil na Guiné-Bissau.
Pesquisadora do Núcleo de Comunicação e Educação (NCE-USP), tendo atuado no programa Educom.rádio e no projeto Educom.JT (Jornal da Tarde). Atuou na Viração, coordenou ações no projeto Plataforma dos Centros Urbanos do Unicef. Participou do Projeto Universidades em Timor Leste (PUC-SP, USP e Universidade Presbiteriana Mackenzie), iniciando suas atividades educomunicativas também em nível internacional, conforme registro do blog Educomusp. Foi consultora para o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde do Brasil no âmbito da Cooperação Sul-Sul juntamente com o educomunicador Hércules Barros. Nesse projeto, a educomunicação foi aplicada para a mudança de comportamento em HIV/AIDS em Botswana e no Kenya, demonstrando o grande potencial educativo transformador desta proposta. Trabalha como assessora de projetos na Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

 


cristianeProjetos educomunicativos da Associação Nacional dos Jornais – Cristiane Parente
Jornalista, membro da ABPEducom e Pesquisadora do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho-Portugal (Doutoranda em Educação para os Media).

A webconferencista falará sobre sua experiência educomunicativa em nível nacional e internacional. Discorrerá sobre sua dissertação de mestrado na UNB que estudou a ação de uma escola nessa interação com o jornal da cidade de Dourados-MS.

Jornalista, Professora, Educomunicadora e Eterna Estudante. Assim se define Cristiane Parente de Sá Barreto. Atualmente, faz doutorado em Educação para os Média – Faculdade de Comunicação da Universidade do Minho (Braga/Portugal). Fez mestrado em Barcelona (Máster em Comunicación y Educación pela Faculdade de Comunicação da Universidad Autónoma de Barcelona) e no Brasil (Mestre em Mídia e Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de Brasília – UNB). Tem especialização em Teorias da Comunicação e da Imagem (UFC/UFRJ). Foi articulista do jornal Gazeta do Povo-PR (Blog Educação & Mídia) e do JOCA (Jornal da Criança-SP).

Esteve na coordenação executiva do Programa Jornal e Educação-ANJ (2008-2013). É membro do Comitê Jovens Leitores da Associação Mundial de Jornais e Editores de Notícias (WAN-IFRA) e Sócia-Fundadora da Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais de Educomunicação – ABPEducom. Foi Diretora de Comunicação da ABPEducom (2011-2013). Seu blog pessoal sobre Mídia e Educação é também um registro das discussões e experiências educomunicativas que vivenciou.

 


carlos_lima16 anos de Educomunicação nas escolas públicas da cidade de São Paulo – Carlos Lima
Professor da rede municipal de Educação de São Paulo, Núcleo de Educomunicacão SME/SP)

O webconferencista apresenta a história da Educomunicação na rede municipal de Educação da cidade de São Paulo, passando pelas mudanças dos programas, projetos e atividades em seu processo de empoderamento de professores e de alunos no uso das escolas para serem produtores de cultura.

Carlos Alberto Mendes Lima foi radialista antes de se tornar professor de inglês em escolas de ensino fundamental da cidade de São Paulo. Desde que o Educom.rádio foi implantado nas escolas da rede de 2001 a 2004 numa parceria com o NCE-USP, o professor vem atuando em projetos de rádio escolar e protagonismo juvenil, conforme registrou o blog da Licenciatura em Educomunicação. O projeto Educom-rádio se transformou no Programa Nas Ondas do Rádio, tendo Carlos em sua coordenação. Em 2015, o programa foi transformado em Núcleo de Educomunicação. Nesse universo de propostas educomunicativas, destacam-se: o projeto Imprensa Jovem – alunos viram repórteres e transformam os laboratórios de informática em agências de mídia; capacitação dos professores no uso das tecnologias na escola e no empoderamento dos alunos; rádios escolas que favorecem a aprendizagem e a cultura de paz na escola. Tudo isso foi possível, graças à aprovação e implementação da Lei Educom (lei municipal nº 13.941, de 28/12/2004), que instituiu a educomunicação como política pública na cidade.

 


jesualdoCobertura educomunicativa dos alunos – Jesualdo Freitas de Freitas
Professor da rede municipal de Educação de Porto Alegre, membro da ABPEducom.

O webconferencista irá tratar sobre o programa Alunos em Rede – Mídias Escolas da cidade de Porto Alegre, uma ação de inclusão digital que empodera alunos da rede pública em vista de se tornarem educomunicadores.

Jesualdo Freitas de Freitas é graduado em História (UFPEL), tem especialização em História do Rio Grande do Sul (UCPEL). Foi professor do Ensino Médio por oito anos e do Ensino Fundamental por vinte e dois anos. Foi assessor Pedagógico em Política Cultural e Assessor para a área de Ciências Sócio Históricas e Culturais e Filosofia da Rede Municipal de Educação de Porto Alegre por dois anos (RME-SMED/PMPA) (2001 a 2002). Trabalhou na área de Produção em Mídia Escolar por cinco anos no Ensino Fundamental na Escola Municipal Chico Mendes (2004 a 2007). É também radialista registrado no Ministério do Trabalho desde 2006.

Desde 2008, é Assessor de Inclusão Digital para Mídias Escolares da Rede Municipal de Porto Alegre na Secretaria de Educação. É responsável pelos blogs da Inclusão Digital da SMED-POA  e seu blog pessoal “Sou professor do século 21″.



Tudo sobre o II Colóquio Mato-grossense de Educomunicação

 Por Letícia Pina e Laleska Fálico

Talvez você também goste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *