Mesa redonda: Educomunicação no ensino superior de Jornalismo

A Educomunicação utiliza-se dos meios de comunicação para levar os atores sociais à produção de cultura. Equipes são integradas para que possam desenvolver projetos comunicativos com o uso se TV, Internet ou jornal. A disciplina leva o acadêmico à reflexão de um processo de exploração teórico-conceitual de mídias educomunicativas que desemboca na apresentação de produto educomunicativo. No curso de Jornalismo,  a área Educomunicativa envolve processos comunicativos e à produção colaborativa por meio de projetos de extensão, que leva a comunidade a se apropriar das técnicas jornalísticas para serem produtoras de cultura. Nesse, intercâmbio entre acadêmicos/docentes e comunidade, o jornalismo colaborativo e cidadão , a produção coletiva e individual dos alunos (projetos/TCCs) ,  o trabalho em equipe , a interdisciplinaridade/transdisciplinaridade, as metodologias participativas e empoderamento social são marcas primordiais.

Nesta mesa, vamos conhecer algumas instituições de ensino superior que estão abrindo espaços na articulação do tripé ensino/pesquisa/extensão de Jornalismo. Tanto a Licenciatura em Educomunicação (ECA-USP) quanto o Bacharelado em Comunicação Social com ênfase em Educomunicação são pioneiros no introdução do paradigma educomunicativo em seus currículos. Ainda há o Curso de Bacharelado em Jornalismo da UFU que atua com disciplinas dentro do paradigma fazendo intercâmbio também com licenciaturas por meio do programa PET Conexão Educomunicação.  Nas  Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a Educomunicação chegou pelos projetos de extensão universitária.


 

ismarEducomunicação no ensino superior na visão de Ismar de Oliveira Sores
Presidente da ABPEducom, Professor da ECA-USP.

O webconferencista irá falar sobre as instituições de ensino superior que já estão trabalhando com a Educomunicação e como ele vê esse crescimento ao longo do acompanhamento ao paradigma desde sua identificação em 1999.

Jornalista formado pela Cásper Líbero e graduado em Geografia e História. Doutor em Ciências da Comunicação (ECA/USP), pós-doutor pela Marquette University (USA). Professor Titular da ECA/USP, chefiou o Departamento de Comunicações e Artes por 8 anos. Atuou como professor do Ensino Médio, em escolas públicas e privadas nas décadas de 1970 e de 1980. No ensino superior, atuou na Universidade Metodista de São Paulo.
Fundou e coordena o NCE – Núcleo de Comunicações e Artes (USP). Coordena a Licenciatura em Educomunicação da ECA/USP. Esteve à frente da pesquisa que definiu e sistematizou, entre 1997 e 1998, o conceito da educomunicação, como um campo de intervenção social e de investigação acadêmica na interface comunicação/educação. Promoveu, a partir do ano de 2000, 18 congressos, simpósios e encontros nacionais sobre a temática. É jornalista responsável pela revista Comunicação & Educação, tendo colaborado ativamente para fundação da revista Viração.
Vem colaborando, ao longo das duas últimas décadas, para que o conceito da educomunicação seja operacionalizado em níveis municipal, estadual e federal, através de políticas públicas, permitindo novas formas de gestão da comunicação nos processos educativos sejam implementadas. Para tanto, contribui para projetos como: o “Educom.TV” (2002), o “Educom.rádio”, (2001-2004) e o Curso a distância “Mídias na Educação” (2006-2012).
Presidiu a UCBC – União Cristã Brasileira de Comunicação Social entre 1980 e 1986. Foi presidente da UCIP – Unión Catholique Internationale de la Presse (Genebra, Suíça) entre 2001 e 2009, articulando eventos em todos os continentes destinados à formação de jornalistas no campo da ética, da cidadania e da sustentabilidade.

 

 


 

Educomueducom2nicação nos cursos de jornalismo – Cláudia Lago
Presidente da Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor), Professora da ECA-USP, Membro do NCE-USP.
A pesquisadora irá abordar a importância de incorporar e debater temas relacionados a educomunicação dentro dos cursos de jornalismo para a construção profissional dos aluno.
 Graduada em Comunicação Social – Jornalismo – pela Faculdade de Comunicação Social Casper Líbero (1989), mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (1995) e doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2003). Foi professora da Universidade Anhembi Morumbi (2005-2014), onde também foi membro do Comitê Institucional de Pesquisa e Desenvolvimento da Universidade, líder do Comitê de Pesquisa e Desenvolvimento da Escola de Comunicação e Educação e coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Comunicação e Educação. Desenvolve pesquisa na área de Comunicação tendo como foco a construção da alteridade, especialmente de gênero, em narrativas não ficcionais, e pesquisa e extensão em Educomunicação, relacionadas também ao estudo da alteridade. É professora da Escola de Comunicações e Artes no departamento CCA, curso Licenciatura em Educomunicação, da Universidade de São Paulo.

Educomunicação e licenciatura poreducom1  Claudemir Edson Viana
Secretário Executivo da ABPEducom, Professor da ECA-USP, Coordenador do NCE-USP
O pesquisadora apresentará aspectos gerais da formação e atuação do licenciado em Educomunicação e sobre a  relevância do profissional da área na atualidade, da produção midiática dentro das escolas, aliados ao uso pedagógico das tecnologias.

Atuou por 10 anos como Educador em escolas públicas e privadas, atuou por 11 anos como Diretor Acadêmico no Ensino Superior Particular, e como pesquisador por 16 anos no LAPIC – Laboratório de Pesquisas sobre Infância, Imaginário e Comunicação (ECA/USP). Foi colaborador nos projetos de educomunicação do NCE -Núcleo de Comunicação e Educação (ECA/USP) desde 2001, tornando-se coordenador do Núcleo em 2014. Atuou como líder de projetos em cultura digital na educação em projetos da ONG CENPEC. Assume a cadeira de Epistemologia da Educomunicação na Licenciatura em Educomunicação, na ECA/USP, em dezembro de 2013, e é o Secretário Executivo da Associação Brasileira dos Pesquisadores e Profissionais da Educomunicação com mandato até outubro 2016.

 


dielcioEducomunicação nos projetos com adolescentes do Pantanal – Dielcio Benedito Moreira
Professor da UFMT

O professor irá abordar a atual pesquisa: Educomunicação, Ciência e Outros Saberes: um estudo do trabalho colaborativo e compartilhável em narrativas transmídias. temas: Interface, Cultura da Conexão, Cultura Participativa, O Jovem e a Informação e Construção Coletiva de Saberes.

Benedito Dielcio Moreira é professor Associado da Faculdade de Comunicação e Artes da UFMT. Graduado em jornalismo, tem Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo e Doutorado em Educação pela Universität Siegen, Alemanha. Atua com educomunicação desde 1998. Seus estudos de mestrados, sob o Título “Esqueceram de Mim, eles só pensam nos meus pais”  versam sobre a relação entre jornais e jovens, no final da década de 1990. No doutorado, “Olhos de Voyeur e Dedos de Flaneur”, os estudos abordam as andanças midiáticas dos jovens, sobretudo no universo digital.

 


 

carlao3Importância de projetos de extensão para o reconhecimento dos cursos superiores – Carlos Alberto Caetano
Presidente do Conselho Estadual de Educação do MT e do Conselho da Promoção da Igualdade Racial

Sua fala no evento fala da importância dos projetos de extensão como um importante pilar para sustentar o compromisso da universidade em defesa dos direitos sociais.

Carlos Alberto Caetano é mestre em Educação (UFMT) e especialista em Gestão Pública em Saúde (UFMT) e em Política Segurança pública e Direitos Humanos (UFMT). É graduado em Ciências Sociais (Universidade Cândido Rondon) e em Filosofia (UFMT). É Presidente do Conselho Estado de Educação.

Carlão como é comumente chamado é professor da Rede Estadual de Educação. É pesquisador da área dos movimentos sociais e tem sua vida pautada nos movimentos sociais. Foi Membro do Conselho Estadual de Promoção e Igualdade Racial do Estado de Mato Grosso – CEPIR. Faz parte da Coordenação do Instituto de Formação Estudos e Pesquisa Sócio-Econômico-Político Cultural de Mato Grosso. Também  foi  doordenador do Centro de Organização e Defesa da Criança e Adolescente –MT. É Professor de Sociologia e Filosofia na Rede Pública Estadual de Educação do Estado de Mato Grosso. Exerceu a função de coordenador exxecutivo do Projovem Urbano na Secretaria de Promoção e Assistência Social de Várzea Grande –MT. Tem experiência na área de Ciência Política com ênfase em Políticas Educacionais. Atua na área de formação de educadores no Programa Projovem Urbano pela UNISELVA.

 


 

mariaCeliaRehderO direito à comunicação e a contribuição da Educação para a transformação social – Maria Célia Rehder
Assessora da Campanha Nacional Educação, membro do NCE-USP e do Conselho Científico Deliberativo da ABPEducom

Especialista em Educomunicação (ECA-USP), Mestre em Direitos Humanos e Democratização (European Inter-University Center for Human Rights and Democratisation). Morou por 18 meses na Guiné-Bissau onde ocupou o cargo de oficial de comunicação das Nações Unidas naquele país, desenvolvendo ações diretas de educomunicação com a Rede de Crianças e Jovens Jornalistas da Guiné-Bissau.
Pesquisadora do Núcleo de Comunicação e Educação (NCE-USP), tendo atuado no programa Educom.rádio e no projeto Educom.JT (Jornal da Tarde). Atuou na revista Viração, coordenou ações no projeto Plataforma dos Centros Urbanos do Unicef. Participou do Projeto Universidades em Timor Leste (PUC-SP, USP e Universidade Presbiteriana Mackenzie).

 


 

carlos_limaA presença da universidade no Núcleo de Educomunicação da SME-SP – Carlos Lima
Professor coordenador do Programa nas Ondas do Rádio da Secretária de Educação da cidade de São Paulo, Responsável pelo Núcleo de Educomunicação-SME-SP

O webconferencista irá discorrer sobre a presença do Núcleo de Comunciação e Educação (NCE-USP) na formação, articulação e assessoria aos projetos educomunicativos da SME-SP.

Carlos Alberto Mendes Lima foi radialista antes de se tornar professor de inglês em escolas de ensino fundamental da cidade de São Paulo. Desde que o Educom.rádio foi implantado nas escolas da rede de 2001 a 2004 numa parceria com o NCE-USP, o professor vem atuando em projetos de rádio escolar e protagonismo juvenil, conforme registrou o blog da Licenciatura em Educomunicação. O projeto Educom-rádio se transformou no Programa Nas Ondas do Rádio, tendo Carlos em sua coordenação. Em 2015, o programa foi transformado em Núcleo de Educomunicação. Nesse universo de propostas educomunicativas, destacam-se: o projeto Imprensa Jovem – alunos viram repórteres e transformam os laboratórios de informática em agências de mídia; capacitação dos professores no uso das tecnologias na escola e no empoderamento dos alunos; rádios escolas que favorecem a aprendizagem e a cultura de paz na escola. Tudo isso foi possível, graças à aprovação e implementação da Lei Educom (lei municipal nº 13.941, de 28/12/2004), que instituiu a educomunicação como política pública na cidade.

 


 

????????????????????????????????????

Educomunicação nas escolas estaduais de Mato Grosso – Leandro Rodolfo Resende
Professor coordenador de Projetos Educativos da  Secretaria de Educação de Mato Grosso.

O conferencista irá apresentar aspectos gerais do projeto Educomunicação existente em 150 escolas do estado de Mato Grosso e sobre a relevância do protagonismo do aluno do estado no uso pedagógico das tecnologias no processo de ensino-aprendizagem.

Leandro Rodolfo Resende é Mestre em Estudos Literários. É professor, escritor, agente cultural e tutor na Educação a Distância. É graduado em Letras (UFMT). Em 2013 publicou o livro “Memórias da melhor idade de Alto Araguaia”. Na graduação foi monitor e voluntário de Iniciação Científica. Como Agente Cultural teve projetos aprovados pela SEC-MT, FUNARTE, MinC e pelo BASA. Atualmente, ministra o Curso de Nova Ortografia, é Tutor pela UAB/IFMT e é Professor Efetivo Técnico Pedagógico atuando na Coordenadoria de Projetos Educativos da SEDUC-MT. Site pessoal: www.punhoeducativo.org



Tudo sobre o II Colóquio Mato-grossense de Educomunicação

 

Por Neila Grenzel e Mirely Ferreira

Talvez você também goste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *